Bolsonaro não tem medo de comunista – chama Flavio Dino (MA) e João Azevedo (PB) de ladrões: ‘Tenho preconceito é com governador ladrão’

Na Bahia, presidente afirma que governadores querem transformar região ‘em uma nova Cuba’

“Não estou aqui com colegas nordestinos para fazer média. […] Mas não existe esta questão de preconceito. Eu tenho preconceito é com governador ladrão que não faz nada para o seu estado”, afirmou o presidente em Sobradinho (a 602 km de Salvador), nesta segunda-feira (5).

Bolsonaro voltou a negar que tenha se referido aos governadores nordestinos como “paraíbas”. Disse que fez críticas específicas aos governadores do Maranhão, Flávio Dino (PC do B) e da Paraíba, João Azevêdo (PSB), mas afirmou que não vai penalizar os estados.

“Não vou negar nada para o estado. Mas se eles [governadores] quiserem que realmente isso tudo seja atendido, eles vão ter que falar que estão trabalhando com o presidente Jair Bolsonaro. Caso contrário, eu não vou ter conversa com eles e vou divulgar obras junto às prefeituras”, afirmou.

Bolsonaro ainda afirmou que o Nordeste tem recebido recursos abundantes do governo federal e que não vai admitir que governadores do Maranhão e da Paraíba “façam politicalha perante a minha pessoa”.

Mesmo afirmando que não chamou os governadores nordestinos de “paraíbas”, Bolsonaro lamentou não poder fazer piadas sobre os cidadãos de diferentes estados brasileiros.

“A gente não pode mais contar uma piada. Não posso nem contar piada de cabeçudo, de goiano, de gaúcho, de cearense cabra da peste. Não há mais liberdade neste país. Tudo é politicamente correto”, afirmou.

Em um vídeo postado nas redes sociais do deputado federal Claudio Cajado (PP-BA), gravado durante o evento, Bolsonaro disse que para ser “cabra da peste” só está faltando “crescer um pouquinho a cabeça”. Nordestinos costumam ser pejorativamente chamados de “cabeça grande” ou “cabeça chata”.

Em nova referência aos governadores do Nordeste, o presidente acusou uma “esquerda canalha” de querer dividir o país. “Para alguns governadores… é o Nordeste e o resto. Querem fazer disso aqui uma Cuba?”, questionou.

O presidente ainda criticou a iniciativa dos governadores de se unirem em torno do Consórcio Nordeste, que vai possibilitar parcerias entre os governos da região, e afirmou que eles atuam para dividir os brasileiros.

“O Brasil é um só, não queiram dividir regiões. Tem alguns que acham que aquela região é dele e não do povo. Isso não existe, o Nordeste é Brasil.”

No INPE um agente da esquerda estava colocando nas costas de Bolsonaro desmatamentos ocorridos em anos anteriores.

(Brasília – DF, 01/08/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro durante coletiva com a imprensa com o Ministro de Estado do Meio Ambiente, Ricardo Salles, Ministro de Estado das Relações Exteriores, Ernesto Araújo e Ministro de Estado do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno. Foto: Marcos Corrêa/PR

O desmatamento colocado na conta do governo Jair Bolsonaro ocorreu em anos anteriores, mas só foi computado depois. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, rebateu, nesta quinta-feira (1º), a informação de que houve aumento de 88% no desmatamento em junho deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado.

O dado havia sido divulgado no início do mês pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a partir da análise de informações do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter). Em entrevista à imprensa, no Palácio do Planalto, Salles apresentou imagens de satélite para demonstrar que pelo menos 31% do total do desmatamento apurado em junho ocorreu em anos anteriores, mas só foi computado depois.

Segundo o site IG, Salles declarou:

“Essa questão do desmatamento, para nós, ela é apolítica. Não se trata de alocar os números de desmatamento neste governo ou em outros, mas simplesmente dizer que isso não aconteceu em junho de 2019 e que, portanto, o percentual do salto de 88% que foi alardeado está equivocado. Isso deveria ter sido computado ao longo do tempo no período em que foi acontecendo, e a fragilidade do sistema não permitiu.”

O ministro também confirmou que há uma tendência de ampliação do desmatamento na região, que vem sendo percebida desde 2012. Salles anunciou que um novo modelo de monitoramento de desmatamento na Amazônia será adotado pelo governo:

“Nosso objetivo não foi, em nenhum momento, esconder informação ou negar uma realidade, realidade essa, do desmatamento na Amazônia, que vem aumentando desde 2012, por diversas razões de pressão ilegal sobre a floresta, vem aumentando neste período, e nós precisamos, a partir da real análise desses números, finalmente tratar de maneira franca, madura, direta, aberta quais são as razões para o desmatamento ilegal na Amazônia, de que forma dar alternativas de dinamismo econômico para aqueles que vivem na região.”

Fonte: RenovaMídia

O “louco” Bolsonaro ou o câncer que destrói o Brasil. Faça sua escolha!!

O investimento pesado dos governos comunistas do PT e comparsas para destruir os valores éticos, cristãos, culturais e familiares dos brasileiros potencializou a mil graus a CORRUPÇÃO em todos os sentidos, como células cancerígenas que se espalharam nas instituições brasileiras, nas universidades, nas corporações, infestando, inclusive, a OAB, que ora é coparticipante dessas lástima.

Milhões de brasileiros que ainda não se contaminaram reagiram a tempo, e com a força das mídias sociais levantaram uma bandeira de esperança. Enxergaram num capitão que era um deputado federal sem voz e sem vez – um deputado que ao longo de 27 anos apresentou 170 projetos e só aprovaram 2. Era considerado um Zé Ninguém e odiado pelos os que arquitetavam o mau para o Brasil. Fez campanha com pouco dinheiro e usou as mídias sociais a seu favor, despertando a ira da corrupta imprensa brasileira, com raras exceções.

Muitos levantaram objeções do tipo: “esse cara é “louco”; vai acabar com isso; com aquilo; com o projeto tal e o tal; bla, bla, bla, bla, …”. De outro lado responderam: “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes” (Carta de Paulo aos Coríntios 1:27).

E assim, 57.797.847 brasileiros escolheram o “louco” Bolsonaro para confundir e envergonhar os fortes na corrupção; os fortes na destruição das instituições; os fortes na canalhices de plantão; os fortes na defesa de seus interesses pessoais em detrimento dos interesses do povo brasileiro; os fortes na arregimentação e formação de quadrilhas especialistas em roubar os cofres públicos. Além de serem fortes, têm o apoio da imprensa brasileira que, com raras exceções, também estão acometidas pelo câncer destruidor.

O “louco” Bolsonaro convidou esses 57.797.847 brasileiros para tentar outra vez levantar as muralhas do Brasil destruído. E como Neemias, Bolsonaro sabe que tipo de criminosos está enfrentando e encoraja os brasileiros: “Não tenhais medo! “com uma das mãos façamos o trabalho que o Brasil precisa, com a outra segurem a arma enquanto trabalhamos” (Do Livro de Neemias 4.11-12).

O diagnóstico do Câncer implantado pelos comunista para destruir os valores éticos, cristãos, culturais e familiares é bastante forte, principalmente no Nordeste. Por aqui esse câncer está no estado de metástase (se espalhou por vários seguimentos sociais, principalmente na classe analfabeta, a mais vulnerável ao ataque ideológico comunista). Estão em estado terminal. Um exemplo é o Maranhão, onde o Câncer se espalha livre. E tem pouca gente vacinada.

Agora, depois te terem infectado outros milhões de brasileiros com suas ideologias destruidoras, os agentes comunistas inflam os “inocentes úteis” para impedirem o levantamento das muralhas do Brasil destruído, alegando que estão protegendo a Constituição e a “Democracia”.

A dissimulação deles quando são desmascarados é dizer que estão protegendo a Democracia, quando na verdade estão é a destruindo. São uns farsantes.

Mas os milhões de brasileiros seguem firme até ser levantadas as muralhas de desenvolvimento do Brasil, seguindo o comando do “louco” presidente: “Não tenhais medo! “com uma das mãos façamos o trabalho que o Brasil precisa, com a outra segurem a arma enquanto trabalhamos” (Do Livro de Neemias 4.11-12).

De Norte a Sul o povo brasileiro deve deve se curar do Câncer ideológico; devemos nos separar é dos que promovem a destruição dos valores éticos, cristãos, culturais e familiares.

Os agentes comunistas MANUELA D’ÁVILA e GLENN GREENWALD são coautores dos três crimes dos hackers

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, afirmou em um despacho que há firmes indícios de que o grupo de hackers cometeu ao menos três crimes. Nesse crimes figuram Manuela D’Ávila e o jornalista GLENN GREENWALD.

ENTENDA O PORQUÊ MANUELA D’ÁVILA E O JORNALISTA GLENN GREENWALD SÃO COAUTORES DOS TRÊS CRIMES DOS HACKERS

Coautor é aquele que detém o domínio do fato, ou seja aquele que presta contribuição essencial para pratica da infração penal, embora não atue diretamente na sua execução.

A Coautoria de MANUELA D’ÁVILA e do jornalista GLENN GREENWALD fica caracterizada pelo seguinte fato relatado no depoimento do Hacker WALTER DELGATTI NETO:

” … fez o envio para ela de uma gravação de áudio entre os procuradores da República ORLANDO e JANUÁRIO PALUDO; QUE …, cerca de 10 minutos após ter enviado o áudio, recebeu uma mensagem no TELEGRAM do jornalista GLENN GREENWALD, que afirmou ter interesse no material”.

Tendo conhecimento do crime e, em vez de informar as autoridades, Manuela D’Ávila e Glenn Greenwald preferiram ajudar o hacker criminoso a tirar o máximo de proveito do ato criminoso.

Manuela D’Ávila e Glenn Greenwald detinham o domínio do fato e, portanto, podiam impedir a consumação final do crime, ainda que não fossem autores direto do hackeamento. Podiam, inclusive, cessarem o crime, comunicando as autoridades policiais.

O Código Penal assim determina:

“Art. 29 – Quem, de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas, na medida de sua culpabilidade”. (Redação dada pela Lei nº 7.209/84).

POR QUE MANUELA D’ÁVILA E GLENN GREENWALD NÃO IMPEDIRAM A CONSUMAÇÃO DO CRIME?

Não impediram porque tinham interesse no seu resultado (domínio da vontade) – interesse politico-ideológico de ataque à Lava Jato e às demais instituições da República Federativa para fragilizá-las e com isso conseguirem a soltura do chefe da maior organização criminosa que quase eleva o Brasil ao status da Venezuela.

Manuela D’Ávila e Glenn Greenwald são coautores dos crimes de devassa de conversas das autoridades brasileiras, devendo, inclusive ser enquadrados em crimes contra a segurança nacional e terrorismo.

E AGORA FLÁVIO DINO! VAIS CUMPRIR A AMEAÇA?

Bolsonaro vem ao Maranhão encarar Flávio Dino que lhe prometeu uma surra. O capitão não arregou e convida Flávio Dino para o tatame. As apostas estão abertas….

Bolsonaro vem aí preparado pelo Sr. Miyagi. Sarney não vai poder ajudar. Flávio Dino se Espelha em Manuel Beckman, um escravizador de indígenas para trabalhar em seu engenho. Queria a expulsão dos Jesuítas que protegiam os indígenas, proibindo que eles trabalhassem como escravos. Manoel Beckman agiu por razões econômicas. Flávio Dino age por cobiça política. O Maranhão está aí jogado às traças, Sem atendimento da saúde adequado, educação mascarada com muita propaganda e a extrema pobreza aumentando as estatísticas. O Falso herói Manoel Beckman é a referência do falso governador Flávio Dino.